Pages

16 de mai de 2013

Adeus

História
Aquelas de tirar o fôlego
Lágrimas
Beijos
Abraços
Esperas
Despedidas

Sentimentos se guerreando
Tão forte a cada dia
Insônias
Pesadelos
Lágrimas
Abraços
Esperas
Esperanças

Tão intenso
Momentos e oportunidades
Tão injusto
Ao vento

Nada calava-se a expressão
Concretizada no coração
Leal tanto quanto a razão
Assim se pensava

Dane-se
Ninguém se importa
O ego te consome

Aos meus olhos fez juras
Havia-se uma porta
Com uma luz
Através dessa pupila
Que tu tanto admira

O tempo
A paciência
O fim conciso
Lágrimas
Beijos
Abraços
Juras
E um Adeus.

6 de jun de 2011

Inversando

Se eu faço o inverso
se o orgulho me consome
se ja não peço teu nome

Eu sinto muito
o muito que sinto
era a alma
a entrega que fui
a estória
a espera

Hoje sou o passado
sou lembrança
sou teu ultimo trago
sem esperança.

-

30 de abr de 2011

10 de mar de 2011

O que tem por vir

O que será isso?
O que será que vai acontecer?
espera será inútil
será que valera a pena?


Da mesma forma que finjo esquecer
apagar lembranças pra poder agir melhor diante dos dias
sempre ao adormecer você vem
você vem no pensamento no calar da noite
você volta com a inconstante pergunta:

-Tu pensou em mim hoje?
-De segundo a segundo.
-Humm, senti e vi.

Sabe como eu me sinto? Sinto-me apertada no silêncio, pois calo em mim de você. Nem as estrelas são mais as mesmas quando resolvo olhá-las.
Eu tenho uma visão, do que pode acontecer mais a frente, você esta distante e no mesmo instante tão perto, tão, tão perto, seu mundo cheio de mistérios e caminhos, o que for pra ser será, ou melhor, do seu jeito. Pois eu não consigo por um fim, dessa vez não. Sinto-me fraca por isso, e principalmente quando você resolve ler meus textos, sinto-me despida.


-

5 de mar de 2011

Memórias de uma alma



-Uma alma, uma nova passagem para lugares distantes e diferentes
Revivendo memórias. No mundo dos sonhos as almas vivem uma a perfeição aquela vida que na realidade é impossivel.
(...) Sonhe com os anjos.

21 de fev de 2011

Shiiiii!

Só quero silêncio!
Hoje eu só queria silêncio
só queria poder ver o vento entrando pela janela do quarto
as cortinas levemente balançar
queria o total silêncio
onde eu só pudesse ouvir minha própria respiração
até mesmo meus pensamentos.
A intenção era cochilar
mas senti uma enorme nostalgia, devaneio, eu diria que comecei a meditar de forma diferente.
Pensamentos sem fim, me rodeando incontrolavelmente, me perseguindo de modo obsessivo, mas em um momento eu parei, e os consegui controlar. 


Prazer, loucura.

4 de fev de 2011

...

A segundos e minutos
trombando em sentimentos
sentimentos vazios
batendo de frente
se eu soubesse explicar
seria facil
o relógio silencioso
com os olhos acompanho
perdida no tic tac tic tac...
 
(...)

6 de jan de 2011

Lagrima contida


Uma lágrima era contida
até seu esperado momento
inevitavelmente
ela se cede
caindo...


Silenciosamente...


- Era o começo de um fim.










22 de nov de 2010

O escuro

Era com uma criança enfrentando o escuro
a criança deparava-se com a verdade
em soluços meio á lagrimas
não era mais de medo
e sim por ter visto que
o escuro não lhe faria nada...

-O escuro
um abismo
para a paciência.

14 de out de 2010

Amor

Com os olhos me despindo
veio ao meu encontro
de perto seu calor senti
uma bebida me ofereceu
um sorriso lhe dei
naquele momento de euforia
todos em uma dança
se olhando a distância
meus olhos te pairavam
em uma chance de conversa
veio até mim com elogios
me encantando com seu olhar
mesmo ao efeito do álcool
palavras ofegantes
em atitudes elegantes
com simples atos me convenceu
hoje o meu amor é todo seu.

26 de set de 2010

...


Às vezes fujo
De algumas pessoas
Desse mundo
Com regras, orgulhos.

Pessoas amam com trapaças!
O que se passa?
Vontades e faltas
Ilusões.

Uma ironia evidente
Nada se faz
Nada é feito.


---

15 de ago de 2010

Aos 17.

Odeio tudo isso, do modo como as coisas são
De como os sentimentos trazem dor
Das coisas não recíprocas
Odeio ver quem eu admiro se decair na minha frente
Odeio ver a vida acabando com pessoas boas
Odeio traços tortos
Odeio quando pessoas jogam com pessoas erradas
Odeio quando sofremos por injustiça de outros
Odeio ter que fazer escolhas
Odeio não ter mais tolerância igual antes, e não sorrir igual antes
Odeio quando tenho que ouvir coisas que não fiz
Odeio a ignorância
Odeio a ironia da vida da forma como ela age
Odeio quando um simples EU TE AMO significa um Adeus
Odeio ter que entender tudo isso.
-

Escolhas eu tive que fazer.
Quero apenas olhar para trás, e esperar lentamente meus olhos
enxerem de lágrimas, relembrando cada momento inesquecível
cada palavra bela falada na hora certa, cada risco bem sucedido
cada sentimento verdadeiro e intenso, cada ato puro,
e que no fim dessas lágrimas e lembranças possam sempre em meio florescer um sorriso.

24 de jul de 2010

Tempo, tempo.



O tempo passa e se ajeita
descobrimos a sensatez do silêncio
os supérfulos atos de um ser humano
a cada instante vem a inconstância
em traços tortos
vê-se o digno leal
a honra que abraça
sera aquela justa
que com apenas um assopro surpreso
lhe trara seu ideal aconchego?


- Deixa ficar subtendido.

20 de jul de 2010


Ironia, apenas ironia.
Ironia toma-se conta de tudo, consome tudo ao redor. A ironia da vida fez de alguem um fraco hoje.

Entre meio raios teve medo , não de perder mas sim de esquecer.
A ironia atravessava friamente teu caminho, a cada passo de entrega um susto acelerando sempre os batimentos com o certo medo previsto.
Por fim dançou sobre destroços de forma trágica!
Em silêncio ficou gravado e guardado numa caixa, suspiros sinceros e palavras que não poderam ser mais ditas.

12 de jun de 2010

Dias e dias

Dias vem e vão
palavras que sacodem
palavras que mentem
e que se isolam
a cada anoitecer
se dividi os sentidos
sem o perceber
das luzes seguintes
sem aos lados olhar
sem ver onde pisar
com olhos vendados
a todo o lugar
as vezes o tempo
não compra
uma passagem de volta
tudo se acaba
o bom que se passa
o ruim que se supre
visões amargas
de um herói diferente
que não usa armas.


17 de mai de 2010

Devaneios

Vejo fantasmas manipulados
uma sombra grande ofuscando
um arrepio de tristeza
um olhar deslumbrado
mostrava-se pureza
aos olhos enganados
um dia houve a inocência
corrompida, lápidada
transformada em marcas
nada se via coerência
feridas por si fechadas
em um estado de urgência
onde nada á encontrava
me joguei ao lúcido
sufocava-me tal necessidade
olhos, pernas, labios
tudo se apagava em um abstrato constante
de sentidos renegados
emoção, raiva, desespero?
sabotagem nos pensamentos?
necessidade do alheio?
afundo-me em uma saborosa viagem
a necessidade, a raiva, o amor
pois tudo some na mesa de um bar qualquer
naquele copo
em forma de corpo
me afogo
me recordo
me levanto
no pensamento torço por algo que ainda não encontrei
algo diferente que quebre todos os paradigmas
algo que acenda o pior de mim
pois minha alma ja nao é mais a mesma
se tornou em algo insensivel
do qual me dominou
sem mesmo eu tentar lutar
quero algo
algo
que me entorpeça
que me encha de rimas
que me falte ar
quero a poesia
os alívios da alma
demonstro na folha do trevo
mas se não intendeis
nas poucas palavras te direi
pois somente aqueles pobres de espírito
sentirão meus desvaneios
conflitos e solidão
somente sentira aqueles rélis mortais
em busca da perfeição
onde procurarão?
em bares
tais perfis de desilusão
abris-tes os olhos
não a boca para os goles
aprenda a ousar
beber pelo o olhar
degustar até mesmo apreciar
pois se não quando menos esperar
lhe seivam sem dó
pois a tantos que se vão
por menos e virão pó
sem explicação
eles apenas se vão.


2 de mai de 2010

Sílabas preliminares

-Tudo o que sai de você vem com uma pronúncia exclusiva, porque é sua. Pairo os olhos naquela pessoa que escolhi pra ser minha e continuo com o olhar fixado na emoção que me faz perder o juízo. Não largaria nem o pior momento, nem a pior crise, nem a pior discussão, pra ter a paz tão procurada por alguns. Nenhuma situação, por mais vagabunda que seja, vai ser banal. Nenhum momento, por mais paralisante que seja, vai ser tão brutal ao ponto de não suportar. Nos amamos sem dimensionar o grau do que sentimos. Apenas vamos dando mais espaço pro novo que sempre estréia dentro de nós.
Deixa eu sentar no meio-fio e pensar mais um pouco, mais um pouco e mais um pouco nesse amor adulto e sem pré-julgamentos? Logo penso: "Você é a coisa mais linda que a fuga das minhas emoções esbarrou".
Você sabe emocionar, sendo muito sensual em tudo que elabora. Suas palavras têm personalidade.
Se um dia eu pude fazer dessa minha transparência a alma das palavras que te encantam, foi porque nenhuma linha se sentiu envergonhada com essa nudez nos sentimentos. Meus olhos só enxergam o seu amor, minha alma só tem aura quando se encontra com a sua... bem no meio da menina dos olhos do seu coração.
Sabe o que significa de verdade fechar o punho assim que termina de ler, só pra segurar a emoção e implorar aos céus pra cristalizar um momento? Que só me apoiando mesmo nesse verdadeiro amor que sinto pra não me desequilibrar.
É golpe e daqueles fundos, mas não é baixo, é na altura certa de um coração passionate.
Meus dedinhos insistem frenéticamente em querer alisar o teclado, só pra deixar tudo naquele grau altíssimo do que sinto, meu amor. Não tem como deixar essa emoção toda encaixotada, embrulhada, guardada.
Você também me faz mandar tudo pro inferno e te seguir. Igual esse tipo de seita onde a negrada faz lavagem cerebral. rs
Pois meus estímulos gustativos aprenderam que só querem esse seu gosto. ( seu olhar tambem entra fundo dentro do que não presta em mim ) {malícia} rs. Porque essa língua afiada? Porque estou muito a fim de te deixar nadando na saliva de uma lábia apaixonada.

P.s: Te quiero.

18 de abr de 2010

Bebendo você

Friamente afogando desconfortos
privando lembranças em uma garrafa
desgustando substânciase la tendo seus efeitos
me embriago aos poucos
aos poucos me confesso
surpreendendo em gestos
a euforia não se controla
o meu ego quer mais dose
desse gosto de você
alto consumo de glicose

11 de abr de 2010

Para você

Você, fez uma tamanha diferença a partir daquele olhar cintilante e marcante que me veio após elogiar meus olhos. Puxei na minha memória, e recebo sempre relances detalhados de um sorriso inspirador e de um olhar único e sedutor. Sabe, sem tua presença, eu me entrego a perguntas, e nelas vejo que minha melhor resposta realmente eu encontro em ti. Quando lhe digo da ‘caixinha’, quero te mostrar que valorizo cada palavra, cada ato e pensamento teu, e que essa caixinha é o que trago de mais valioso na memória, nos momentos a sós, ela se abre, eu me relembro de tudo que guardei, e isso deixa o que sinto por ti mais forte cada vez mais forte. Você sabe que a vida sempre da um jeito de por ‘escolhas’ em nosso caminho, e principalmente obstáculos, mas sei que isso tudo sempre pode ser superado. Nunca pensei que toda vez antes de dormir pensaria tanto em alguem, e a 'saudade' pedindo por alguém do modo em como esta hoje. Eu não quero ter tudo, pois quem tem tudo, acaba tendo tudo a perder, quero ter aos poucos. Eu poderia encher paginas falando, falando de como anda, de como me atrai ardentemente, de como mexe no cabelo, dos vidros amar te cortar, de quando tem um pensamento 'meio' malicioso e da aquele sorrizinho olhando pro nada, aquela odaxelagnia(morder)rs, ou quando liga pra mim depois de tomar umas e começa a falar coisas de uma forma aleátoria rs, aquele 'Oi' sedutor que só você consegue dar, aquelas msgs de madrugada, a maneira como escreve com aquelas palavras de luxo, ou quando digo que te gosto e você diz que não acredita e me deixa P*... da vida, gosto e observo tudo isso, mas só quero saber, se você cuidaria bem do meu coração? Apenas quero que o amor venha, embrulhado a laços sem dor. Você me da segurança. Você é uma pessoa admiravel. Um segredo? quanto mais tu fala que me gosta, mais o que eu sinto por ti aumenta.
E se tudo o que eu disse pra ti aqui não fizer alguma diferença, apenas ignore(não sentimos saudades a toa). Como ja te disse 'é como um livro', mas ninguem conseguiu chegar onde você esta chegando. Pois o texto a cada dia que passa tende a crescer á cada vez mais. Quero que sempre aja apenas vírgulas, sem ponto final...

P.s: Te gosto

8 de abr de 2010

Vem comigo


Vem comigo
Ver o pôr-do-sol
Quero te mostrar
Escute o tempo
Sinta a brisa
Sobre um sol conciso
Raios alegres
Sinfonia contagiante
Harmonia redundante
Naquela rua
Sol admirante
Ao tardar a simples lua
Aquele vento respirei
De uma forma mútua
Os meus segredos revelei.

(...)

31 de mar de 2010

Distância

Dias e dias amando
dias e dias esperando
isso é errado?

Parece tudo armado
palavra saudade
vem com vontade
de sempre te ver

A distância
grande travessia
ela mostra o amor
e tambem a dor
com sinceridade
te digo a verdade
você me faz bem
e que mal tem?

17 de mar de 2010


Meu coração obediente
me faz bem
é diferente
o gosto que tem
insaciável eu passo a ser
sem tua presença
passo a crer
que o que sinto é sem licença
o tempo me engana
quer te ver
é sentença
amor o que fazer?

14 de mar de 2010

...

Às vezes nossos planos falham numa intensidade de arrancar suspiros angustiantes, perguntamos o porquê. Pensamos em várias alternativas, imaginamos algumas respostas impossíveis, mas o que podemos fazer nessas horas é apenas nos queixarmos. O tempo? Diz ele, o senhor da razão, mas porque ele sempre teima em surgir como resposta em horas não favoráveis? Vou fingir que não sei que é para crescermos e amadurecermos. Mas diante tudo isso, porque é tudo tão difícil? Pessoas tem mania de complicar tudo, quem dera eu viver em um mundo sem complicações, sem ter a palavra ‘ESCOLHA’ ao meio de tudo, não acha? Não seria eu que teria o tal privilégio. Perante o óbvio e me comparando com todos em relação a problemas, qual seria o efeito que ele causaria? Um tipo de refúgio, como ter uma casinha da árvore, figuramente falando? Ou uma janela sem grade? Fugir dos problemas, creio que não seja a resposta certa. Acho que o que posso fazer é gritar em meio a lágrimas e me afogar com elas, podendo ver o lado mais obscuro da vida, já que ela me subestima de uma forma dolorosa.

3 de mar de 2010


    Ao fim da tarde resolvi sair, após um longo dia chuvoso. Caminhando a certo destino, tentando aliviar alguns pensamentos que andaram cansando a minha mente nos últimos dias. Em questão de uma longa respiração de alivio, o tempo começou a ficar nublado, trovões se ouviam com leves ventanias, eu estava sozinha e tinha fobia de tempos assim. Continuei caminhando e me perguntando.
–E agora? O que faço?.
Estava em meio caminho, pensei de tudo, me controlando, para não me apavorar, naquele instante chamei o nome de alguém bem baixinho, a cada pensamento eu me sentia mais protegida, lembrava de palavras já ditas e momentos inesquecíveis. Respirando rapidamente acelerei meus passos pra chegar ao destino, meu coração estava na garganta, mas meu pensamento estava firme, não sei realmente o que houve, consegui chegar bem e sem crises. Dias assim me causam grandes sufocos. Eu apenas sussurrava baixinho algumas palavras acolhedoras, algumas que me faziam esquecer o que se passava para mim mesma.

25 de fev de 2010

Forças além de mim
trajam um destino sem fim
sigo meu caminho
buscando meus reais
compreendendo os normais
mesmo controlada
nessa estrada abandonada
percorro sossegada
sem nenhuma influência
saboreando friamente a paciência.

Vejo-me flutuar
nas águas encontradas
de lágrimas salgadas
vejo-me afundar
Sinto-me esquecer
mas sem você
a vida é errada
sinto-me esconder
mas sem você
tudo é nada

Espere-me naquele canto
no canto da estrada
espere-me com uma lágrima
quero ver a sinceridade
nem que seja disfarçada.

Em um momento indeciso
imagino teu sorriso
Vi-te surgir na chuva
atravessando cada curva
apenas querendo meu amor
embrulhado a laços sem dor
Lhe daria o mundo
e o sentimento mais profundo
farei meu coração gritar
que só a ti ira amar.
Pequena loucura
Combina rimas
Em expessuras

Em  sons triunfantes
Exploram vocais constantes
Seduzindo tua luz
Sombras pausadas
Levemente se distorcerão

No vago canto escuro
Surgindo-se pétalas
Deslizando a um ensaio
Contradiz a solidão
Com um singelo ato
De uma simples canção.

24 de fev de 2010


Lembro-me daquele dia, fui muito forte, podia todo o meu mundo desabar, me recuei e não me desandei, se eu fizesse o que me viesse, não teria nada, apenas passaria o resto dos meus dias sendo influenciada por lances da vida correndo no escuro, e em mente uma vida que apenas se pode imaginar em nunca ter, sem se quer poder senti-la, pessoas me olhariam de lado com um olhar daqueles assustados, e eu sem imaginar que arrisquei tudo para mudar, mas desequilibrada eu estava, e mesmo assim prossegui tentando, sem olhar para trás e ver o que eu deixei sem se quer ter a consciência da dor que causei. Poderei eu refugiar-me a um ato imperdoável, por apenas ser mais uma vitima da dependência da vida, poderia eu ter feito muita coisa, mas apenas me lamentaria, choraria a dobros como se uma estaca estivesse sobre meu peito e a cicatriz ali pra nunca mais se esquecer, sendo entrelaçada e eu apenas e diria, acabei com minha vida.
O silêncio da noite me acalma, uma brisa fria sobre minha pele serenamente sinto, percorrendo pensamentos não podendo corresponder os sentidos nem mesmo as lembranças que me arrancam suspiros, pois em mente flora o instinto, sigo inquieta meu destino e sugando o odor da vida com tremores sólidos sobre toda profecia.